Home Geral Pesquisa revela que 21% dos britânicos recusariam convite para casamento gay

Pesquisa revela que 21% dos britânicos recusariam convite para casamento gay

11% dos britânicos responderam que compareceriam à cerimônia, mas se sentiriam desconfortáveis em algumas partes do casamento gay

Uma nova pesquisa revelou algumas reações negativas em relação ao casamento gay. De acordo com dados publicados pela seguradora “Emerald Life”, uma significativa parte da população recusaria o convite para comparecer a uma união de pessoas do mesmo sexo, por exemplo.

Cerca de uma a cada cinco pessoas no Reino Unido recusaria um convite para um casamento gay ou não tem certeza se eles iriam participar. Além disso, mais 11% compareceria ao evento, mas eles admitiram que se sentiriam desconfortáveis ​​durante partes da festa.

Os resultados foram ainda mais chocantes entre os britânicos mais velhos e que demonstraram ser mais conservadores. Metade das pessoas com mais de 65 anos afirmam que “se sentiriam desconfortavéis” em comparecer ao casamento de um casal do mesmo sexo.

Apesar de todos esses dados negativos, há alguns pontos positivos nos resultados que trazem esperança. A grande proporção de pessoas com mais de 65 anos entrevistadas distorce os resultados em geral, o que significa que a grande maioria dos jovens ficaria bem e confortável em ir na comemoração do casamento do seu amigo homossexual.

Heidi McCormack, CEO da Emerald Life comentou: “Nossa pesquisa mostra que, embora a legislação de igualdade de casamento tenha tido um impacto positivo dentro da comunidade LGBT, tem feito pouco para desafiar as opiniões de um número significativo de britânicos.”

“O fato de que apenas metade daqueles com mais de 65 anos compareceriam a um casamento pelo mesmo sexo é francamente deprimente”, afirma Heidi. “Felizmente gerações mais jovens são muito mais progressistas, o que mostra que a luta pela igualdade está dando certo, mas ainda vai levar um tempo.”

Casamento entre pessoas do mesmo sexo no Reino Unido

Em 2013, foi aprovado oficialmente o casamento gay, depois que a rainha da Inglaterra sancionou a lei.  Desde 2005, já era permitida a união civil entre pessoas do mesmo sexo, que propiciavam direitos e responsabilidades similares ao casamento civil, mas sem eles estarem oficialmente casados. No caso da união civil, é permitido que um dos parceiros consiga herdar o patrimônio do outro caso em caso de morte, mas não permite a troca de sobrenomes.